Elementos que desfavorecem a atividade filosófica – Olavo de Carvalho

“Se você pega uma comunidade onde a luta pela vida é demasiado intensa, as pessoas vivem sob o terror da fome, o terror da miséria, o terror da morte etc., isso evidentemente não favorece o desenvolvimento de uma atitude mais serena e mais superior, necessária para buscar o conhecimento. Quer dizer que há um certo impedimento que não é causado pela pobreza em si ou pela luta pela vida em si, mas que é causado pelo medo.

Então, não é só atender a necessidade econômica imediata, mas é necessário um certo recuo, por exemplo, perante a natureza. Você pensa que índio adora a natureza, está se sentindo muito bem ali? Pelo contrário, eles estão aterrorizados com aquilo. O estado de terror perante a natureza não permite a atividade filosófica, ou seja, somente depois de você estar protegido dentro de um recinto urbano é que você tem uma certa distância, e é somente essa proteção que possibilita o surgimento do contraste natureza-sociedade.

Tem ainda um terceiro elemento: o indivíduo precisa ter alcançado um certo domínio sobre a situação material e econômica para que desenvolva a confiança na capacidade de organização racional, isso quer dizer que, se em nossa vida estamos sempre a mercê de situações imprevisíveis e não conseguimos a constância de produzir os mesmos resultados pelo mesmo procedimento racional, não seremos também capazes de obter uma confiança em nossa capacidade racional. Você precisa adquirir essa confiança também.

(…) “Ah, então primeiro eu preciso ganhar dinheiro para depois me dedicar à atividade filosófica.” Se você fizer isso, muito provavelmente você não vai ganhar dinheiro nenhum e muito menos será filósofo. Isso porque dominar uma situação econômica não significa ter dinheiro, significa dominá-la interiormente, psicologicamente, não permitindo que ela te afete mais. Então, o que importa não é ter o dinheiro, mas a confiança nos próprios meios de ganhar dinheiro. É não ter mais medo da miséria, não ter mais medo da pobreza. (…) Eu, há muito tempo, já perdi o medo disso porque eu sei como é que se faz, eu sei me virar na sociedade. Eu só vou ganhar o dinheiro suficiente para me manter, e que não me tomem todo o tempo, evidentemente.

Lembro uma vez que eu perdi o emprego no Rio de Janeiro e fiquei na miséria total, ferrou tudo. Eu fiz o seguinte: peguei mulher e filho, mandei-os para casa de meu cunhado e pedi que me dessem seis meses para levantar a situação e trazê-los de volta. Não levei seis, mas três meses apenas, porque eu não tenho mais medo. Se você for esperar para ficar rico primeiro para perder o medo, pode demorar mais tempo e você pode ficar com mais medo ainda.

Portanto, o que interessa é o fator subjetivo e não a quantidade de dinheiro que você tem. O que precisamos adquirir é uma compreensão da sociedade humana e uma compreensão pessoal suficiente para acalmar nossos terrores econômicos, porque o terror econômico impede o indivíduo de raciocinar, mas acontece que pode-se ter terror econômico sendo um milionário: esses sujeitos que quando a bolsa entra em queda eles se matam. Eu digo: “Mas você não sabe fazer dinheiro? Não criou um império? Se caiu tudo, comece de novo, você não sabe fazer?” O que ocorre é que ele fez, mas não adquiriu a confiança de que sabe fazer. Então ele pensa: “Estou muito velho, não consigo mais.” Não é a quantidade objetiva de dinheiro que temos que importa, mas o domínio da situação. Se soubermos controlar a situação, conseguiremos nos acalmar.”


Olavo de Carvalho – Curso Online de Filosofia: Aula 11, 20/06/2009.

Esta publicação foi feita a partir da transcrição da aula, disponibilizada no site do curso: seminariodefilosofia.org. A transcrição não foi revista ou corrigida pelo Olavo de Carvalho.


Gostou da publicação? Clique aqui para ver todos os fragmentos do Curso Online de Filosofia.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: