Iatrogenia – Olavo de Carvalho

A medicina nos EUA mata um milhão de pessoas por ano, mais do que qualquer doença ou vício que se conheça. Somem-se doenças, vícios, malefícios, crimes – nada mata um milhão de pessoas por ano; só a medicina consegue fazer isso. Se nós fizermos a abstração dos malefícios causados pela medicina, os benefícios se tornam formidáveis. Mas eu também: se você tirar todos os meus pecados, eu sou santo. E você também, meu filho: considere somente a sua parte boa e você entra no Céu no dia seguinte.

Existe um livro em português, do Richard Gordon, chamado “A assustadora História da Medicina”. Ele diz que só houve doze descobertas médicas. As outras todas são variações dessas aí, adaptações. Essas doze são coisas reais, ninguém pode negar. (…) Os médicos ficam tão ofendidos quando a gente diz essas coisas. Mas, já dizia S. Tomás de Aquino: contra fatos não há argumentos. Você me mostre outra coisa que mata um milhão de pessoas por ano nos EUA, e daí discutiremos.

Essa estatística que eu dei é de 2006. Até 2006, não havia nenhuma investigação de conjunto sobre o fenômeno da iatrogenia nos EUA (iatrogenia é doenças causadas pela medicina) – havia apenas investigações setoriais. Como é possível que um assunto dessa dimensão e importância não tenha sido investigado? Simplesmente porque a classe médica não gosta. Eu fui editor de revista médica por muitos anos, e o que existe de ciência nesse meio é mínimo, mínimo. O que existe é interesse de indústria, interesse de sindicato, interesse de organismos etc., e daí tem um pouquinho de ciência lá no meio.

No Brasil há o famoso livro de Carlos da Silva Lacaz, que está desatualizado, é um livro da década de setenta. Ele foi um dos grandes epidemiologistas do Brasil, foi Secretário de Saúde de São Paulo. O livro chama-se “Doenças Iatrogênicas”. Dê uma olhada lá e você vai ficar decepcionado com a medicina. Na conclusão, ele dizia que a coisa mais perigosa que você pode fazer é consultar um médico. A solução que eu acho é a seguinte: consulte vários. Eu tive experiências com a medicina, coisas absolutamente fantásticas. Uma vez eu peguei sarna de um cachorro. Passei por doze médicos, ninguém sabia diagnosticar aquele negócio, e eu me coçando que nem um macaco o tempo todo, um inferno total. Daí eu liguei para um amigo meu, que era pediatra, Dr. Paulo Ligeiro, e falei: “Paulo, me indique aí um médico velho, mínimo de 70 anos, que tenha sido seu professor, em que você confie.” Daí ele me indicou o Domingos Miguel Minervino. Eu entrei no consultório do Minervino e ele falou: “Chega para lá, que você está com sarna!” – só de olhar! Existem médicos assim; esses justificam a existência da medicina.”


Olavo de Carvalho – Curso online de filosofia: aula 014, 11/07/2009.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: